• Pingback: ()

  • Tadeu Andreoli Jr

    Muito útil o artigo e o Blog. São dicas práticas e úteis aos que estão atuando na advocacia ou nos estágios profissionais. Excelente.

    • http://advogadonocontrole.com.br/ Advogado no Controle

      Muito obrigado, Tadeu Andreoli Jr! Continue nos acompanhando, pois em breve teremos mais novidades no blog. Abraço!

  • Thais

    Gratidão pelo presente trabalho maravilhoso e extremamente útil.

    • Gustavo Costa Ferreira

      Obrigado pelo sincero agradecimento! Abração.

  • Ricardo (Salvador/BA)

    Gustavo, bom dia.
    Gostei muito das dicas. Fico-lhe muito agradecido.
    Eu venho da experiência com processo administrativo, portanto trouxe de lá a enumeração junto a narrativa. Tipo: “O Autor constituiu o liame jurídico, no dia tal, conforme comprovante (NF, recibo, declaração etc) as fls XX.”
    E ai, o que acha? Funciona bem para processos no Projudi, onde mais advogo, ou a sua fórmula fica mais arrumada?
    E qual seria o melhor lugar para relacionar o ROL DE DOCUMENTOS ? Entendi no texto do Francisco (O Único Modelo De Petição Inicial Que Você Precisa – ótimo texto, a propósito) que abriria um tópico dentro dos “FATOS”, no próprio corpo da Petição.

    • Gustavo Costa Ferreira

      Olá, Ricardo! Agradeço seu retorno. Quanto a sua pergunta, se você conseguir facilitar ao Julgador o trabalho de identificar as sua provas, acho excelente o jeito que você faz. 🙂 Pelo que você me disse, parece-me que sim. Então, siga em frente.

      Particularmente, conheço apenas o PROJUDI GO e PR, nele os arquivos não formam um processo contínuo com numeração sequencial, de modo que só conseguimos referenciar a FLS de cada um dos arquivos juntados, e não de todo o processo. Por isso fazemos da maneira sugerida no texto.

      Em relação à segunda pergunta, sempre fazemos (eu e o francisco) o ROL DE DOCUMENTO no final da petição, logo após o nome dos advogados.

      Obrigado de novo, abração!

      • Ricardo (Salvador/BA)

        Oi, Gustavo.
        Eu não me expressei corretamente, quanto a numeração de documentos. O PROJUDI daqui (TJ Bahia), também relaciona em eventos e não em fls, como eu exemplifiquei.
        Estou montando o meu modelo, com as dicas que vocês passaram.
        E, muito grato mesmo a você e ao Francisco.
        A propósito, estou aqui em Salvador e se puder ajudar em algum momento como retribuição, estou à disposição.
        Abração.

        • Gustavo Costa Ferreira

          Olá, Ricardo. Isso mesmo! A regra de ouro é observar como os juízes referenciam as peças e documentos dos autos em suas decisões. Eu tenderia a fazer como eles fazem. Obrigado pela gentileza, ficamos à disposição, igualmente, aqui em SC. Qualquer coisa, dê um toque em nosso e-mail: contato@advogadonocontrole:disqus .com.br.
          Abs!

  • Débora

    Boa noite Gustavo,
    Sou estudante de Direito e suas dicas foram fundamentais para o meu aprendizado.
    Tenha a máxima certeza que estes ensinamentos passados de forma simples e objetiva, irão ficar guardados na memória.
    Parabéns e obrigada por contribuir por uma advocacia mais eficiente e consequentemente um Judiciário mais célere.
    Abraços

  • Tais

    Excelente texto!
    Estou fazendo minha primeira petição, sem saber como começar a parte prática da coisa. Petição inicial tem n modelos por aí, mas e a prática de ir lá juntar tudo o que precisa (demais documentos) organizar, fazer rol, para deixar tudo numa sequência lógica, ninguém ensina! Nunca estagiei em escritório nem em órgãos do judiciário, pense o quanto estou perdida! Seu texto foi uma luz!!
    Parabéns! Continue escrevendo… nós, iniciantes nos socorremos em qualquer pequena boia que flutue perto dos tubarões… até que consigamos nadar com eles. Obrigada e continue!